arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

Entrevista

por: Luís Manuel Pereira

FLORIAN IDENBURG

FLORIAN IDENBURG, ARQUITETO INTERNACIONAL COM MAIS DE DUAS DÉCADAS DE
EXPERIÊNCIA, É UM DOS FUNDADORES DO ATELIER SO-IL, EM NOVA IORQUE. TEM UM
PERCURSO PROFISSIONAL MUITO LIGADO A ESPAÇOS INSTITUCIONAIS, TENDO LIDERADO
PROJETOS COMO A GALERIA KUKJE, NA COREIA DO SUL, O MUSEU DE ARTES MANETTI
SHREM, NA UNIVERSIDADE DA CALIFORNIA DAVIS, E O CAMPUS DE ARTES AMANT, EM
BROOKLYN. É ORADOR FREQUENTE EM VÁRIAS UNIVERSIDADES, LECIONOU AINDA EM
HARVARD, COLUMBIA, MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY, COLUMBIA E NA
PRINCETON UNIVERSITY. 
FLORIAN IDENBURG, AN INTERNATIONALLY ARCHITECT, WITH MORE THAN TWO DECADES OF
EXPERIENCE, IS ONE OF THE FOUNDERS OF THE SO-IL STUDIO, IN NEW YORK. HAS A PROFESSIONAL BACKGROUND CLOSELY LINKED TO INSTITUTIONAL SPACES, HAVING LED PROJECTS SUCH AS THE KUKJE GALLERY, IN SOUTH KOREA, THE MANETTI SHREM ART MUSEUM, AT THE UNIVERSITY OF CALIFORNIA DAVIS, AND THE AMANT ARTS CAMPUS, IN BROOKLYN. HE IS A FREQUENT SPEAKER AT SEVERAL UNIVERSITIES, ALSO TAUGHT AT HARVARD, COLUMBIA, MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY, COLUMBIA, AND PRINCETON UNIVERSITY.

arqa Na sua vida profissional realizou diversos projetos, de que destacamos o Glass Pavilion, no Toledo Museum of Art, e o New Museum of Contemporary Art de Nova Iorque. Fale-nos desses projetos.

FLORIAN IDENBURG

Depois de me licenciar, em 2000, na Universidade Técnica de Delft (TU Delft), na Holanda, trabalhei no SANAA oito anos, em Tóquio. Lá, aprendi a construir edifícios. Como o escritório era pequeno na época e poucas pessoas falavam bem inglês, tive a sorte de poder liderar a equipa para o concurso e realização desses dois projetos, o que me deu uma experiência muito valiosa. O Glass Pavilion é um edifício térreo, todo em vidro, num ambiente semelhante a um parque, preparado para albergar uma coleção permanente de objetos. O Toledo Museum of Art é, em muitos aspetos, o oposto. É uma pilha de espaços brutos de galerias, localizado no centro de Nova Iorque. Os projetos tiveram uma profunda influência no meu pensamento arquitetónico, concretamente na organização de programas culturais, na noção de abertura e de presença, mas também me ensinaram como construir edifícios nos Estados Unidos. Deixei o SANAA aos 32 anos e comecei o SO – IL, com Jing Liu, em 2008. (...)

 (…)

Nov 2020

Outros artigos em Entrevista

Imagem - XI BIAU - BIENAL IBERO-AMERICANA DE ARQUITETURA E URBANISMO

XI BIAU - BIENAL IBERO-AMERICANA DE ARQUITETURA E URBANISMO

arqa (1) O título da presente edição da ARQA é “(NON) urban”. Que comentário lhe sugere este título no contexto de uma transurbanidade que, aparentemente, já não distingue o que… 

Mar 2020

Imagem - CONHECER JOÃO ÁLVARO ROCHA, À CONVERSA COM CONCEIÇÃO MELO

CONHECER JOÃO ÁLVARO ROCHA, À CONVERSA COM CONCEIÇÃO MELO

arqa JAR (João Álvaro Rocha) frequentou a ESBAP. Ele e a Conceição foram colegas aí. Em que anos? O que recorda de mais importante desses anos? CONCEIÇÃO MELO Vivemos os… 

Dez 2019

Arquivo de Entrevista