arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

Opinião

por: Luís Manuel Pereira

INSERÇÕES - A IDEIA COMO ELEMENTO INDUTOR DO PROCESSO DO PROJETO INDUCTIONS - THE IDEA AS AN INDUCING ELEMENT OF THE PROJECT PROCESS

INSERÇÕES - A IDEIA COMO ELEMENTO
INDUTOR DO PROCESSO DO PROJETO


INDUCTIONS - THE IDEA AS AN INDUCING
ELEMENT OF THE PROJECT PROCESS

Na sua conceção e desenho, as pequenas intervenções assumem um discurso conceptual e formal plural e heterogéneo. Contudo, muitas vezes, estas vertentes são ignoradas pelas convenções da própria prática profissional. Ou seja, surge como um processo com caráter de “menoridade”. A construção de obras, de pequena dimensão ou efémeras, tornou-se perene no imaginário de quem executa ou mesmo no do coletivo que a usufrui. Há por detrás do seu discurso um pressuposto conceptual e uma resposta a um programa e a espaços, quase sempre uma preexistência ou um lugar, seja ele urbano ou não. Um projeto de arquitetura, tenha a escala que tiver, tem premissas próprias. Nos projetos apresentados, temos exemplos concretos deste processo. O atelier Albor, com Três Essências, faz uma intervenção no espaço público - passeio marítimo - para a Xlll Bienal de La Habana, segundo o eixo temático “La construcción de lo posible”. Três prismas, pintados de branco, surgem no passeio, formando um percurso, abrindo-se aos visitantes com o objetivo de serem apropriados, criando pontos de partida para novas experiências, que podem incorporar a sua realidade quotidiana. BEELINE é uma intervenção no interior do MAAT, que pretende transformar o museu numa paisagem de encontros e conversas. Beeline foi desenhada para acolher o MAAT Mode, um programa público participativo que é apresentado como um exercício de interrogação acerca do papel das instituições culturais na sociedade. Para isso o desenho incide na rampa e contribui para ser uma arena cívica, polifuncional, onde a vida pública é desafiada e possivelmente inspirada para uma construção mais inclusiva. O projeto de Helena Botelho Estúdio, a Galeria D. José do Patrocínio Dias, organizou um espaço preexistente transformando-o numa pequena galeria de exposições, onde o contraste entre o fechado e o aberto define o espaço expositivo, onde a luz evidencia os apontamentos de mistério da matéria a ser vista. O apartamento do morro, de Filipa Figueira e Tiago Vieira, maximiza um espaço mínimo, mas que, com uma nova reorganização interior, ganha nova dimensão espacial, sempre com o objetivo da procura da luz natural. João Quintela e Tim Simon, com VIATICUS, executaram um pavilhão temporário no pátio poente do edifício da Cordoaria Nacional. Respeitando as características tipológicas do pátio, desenham uma estrutura capaz de absorver e integrar três escalas distintas: a escala do público, onde as pessoas convivem, comem e descansam; a escala do monumento, onde o evento se faz anunciar à cidade; e a escala do doméstico, onde as zonas privadas de bastidores asseguram os elementos que coadjuvam o evento. Este elemento surge como um cenário de diferentes acontecimentos, materializando uma escala capaz de dialogar com a construção existente. O grupo OBJECTO faz uma intervenção numa tipologia recorrente, organizando dois corredores laterias, que definem toda a função do habitar. Um de natureza intimista e outro em galeria, com reflexos especulares infinitos de prolongamento do espaço, sempre em contacto visual com o exterior. É uma espécie de casa circular, em que o lúdico e o lúcido estão em jogo, onde andar coloca os sonhos e as imagens em movimento. Ricardo Porto Ferreira, na Portugal Vineyards Concept Store, cria um espaço que emerge dos acessos e desenvolve uma sensação de espaço interior definido pelos três expositores. O ato de esculpir as prateleiras nas paredes, remetendo para uma referência aos socalcos da zona do Douro Vinhateiro, define elementos sensoriais, capazes de formatar a perceção visual do espaço. Na Lavandaria do Stu.dere, foi a dualidade entre tradição e modernidade que organizou o conceito. Num espaço refaz-se a memória dos antigos lavadouros públicos. Concluindo, podemos verificar que não importa a escala do projeto, mas sim a resposta que se dá ao enunciado do mesmo.

 

In its conception, small interventions assume a plural and heterogeneous conceptual and formal discourse. However, these aspects are often ignored by the conventions of professional practice itself. In other words, it appears as a “minor” process. The construction of works, small or ephemeral, became permanent in the mind of those who execute it or even in the collective that enjoys it. Behind his discourse there is a conceptual assumption and a response to a program and to spaces that are, almost always a pre-existence or a place, urban or not. An architectural project, whatever the scale, has its own premises. The projects presented in this arqa issue are real examples of this process. Three Essences, from Albor Architects, is an intervention in the public space - in a public path - for the Xlll Bienal de La Habana, according to the thematic axis “La construcción de lo posible”. Three prisms, painted white, appear on the sidewalk, forming a path, opening up to visitors, creating starting points for new experiences, that may integrate their daily reality. BEELINE is an intervention at MAAT´s interior that pretends to transform the museum into a landscape of meeting and dialogue. Beeline was designed to host MAAT Mode, a public program presented as an exercise in questioning the role of cultural institutions in society. For this, the design focuses on the ramp and contributes to being a civic, multifunctional arena, where public life is challenged and possibly inspired for a more inclusive construction. The Helena Botelho´s project, José do Patrocínio Dias Exhibition Room, organized a pre-existing space transforming it into a small Exhibition Room, where the con trast between the closed and the open defines the exhibition space, where the light emphasizes the scene notes of mystery. The Apartment, by Filipa Figueira and Tiago Vieira, maximizes a minimum space, which, with a new interior reorganization, gains a new spatial dimension, always with the objective of seeking natural light. With VIATICUS, João Quintela and Tim Simon executed a temporary pavilion in the western courtyard of the Cordoaria Nacional building. Respecting the typological characteristics of the patio, they design a structure that absorbs and integrates three different scales: the public scale, where people live, eat and rest; the scale of the monument, where the event is announced to the city; and the domestic scale, where the private backstage areas ensure the elements that support the event. This element appears as a scenario of different events, materializing a scale capable of dialogue with the existing construction. OBJECTO office presents an intervention in a regular typology, organizing two side corridors, which define the entire function of inhabit. One has an intimate nature and the other is a gallery, with infinite reflections extending the space, always in visual contact with the outdoor. It is a kind of circular house, where ludic and lucid are present, where walking introduces dreams and images in motion. Ricardo Porto Ferreira, at Portugal Vineyards Concept Store, creates a space that emerges from the accesses and develops a feeling of interior space defined by the three exhibitors. The act of sculpting the shelves on the walls, referring to Douro Wine Region terraces, defines sensorial elements, capable of shaping the space visual perception. Stu.dere office, at Laundry, organizes a dual concept between tradition and modernity. Inside the space is recreated the memory of the old public washers. Concluding, we can verify that what matters it› s not the scale of the project, but the answer that is given to it.

 (…)

Nov 2020

Outros artigos em Opinião

Imagem - INSERÇÕES, “ESCASSEZ”, OPORTUNIDADE

INSERÇÕES, “ESCASSEZ”, OPORTUNIDADE

INSERÇÕES, “ESCASSEZ”, OPORTUNIDADE   Tempo de crise é tempo de manifestação de “escassez”, conceito associado sobretudo à teoria económica, relacionando a natureza limitada dos meios com as aspirações da ação… 

Nov 2020

Imagem - OUTRO ESPAÇO

OUTRO ESPAÇO

OUTRO ESPAÇO As atuações selecionadas e publicadas em Inserções incidem na manipulação e confrontação de valores como interior e exterior em arquitetura. Afastando-se da correspondência e coerência entre estes dois… 

Nov 2020

Arquivo de Opinião