arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

Projectos

Casa da Literatura, QuebeQue, Canadá | Literature House, Québec, caNaDa

arquiteto architect Chevalier Morales architectes

Colaboradores Collaborators eMs ingénierie, stantec (Dessau), Boudreau Fortier huot Œuvre d’art public / Éphémères durables, de Mathieu valade

nome do projeto project name Casa da literatura literature house

Datas do projeto (final dsa obra) project dates (end of work) 2017

localização location Bairro vieux-Québec, Canada

Cliente owner Cidade do Quebeque Quebec City

Áreas surface 1920m2

Capacidade Capacity 235 pessoas sentadas 235 seats

 

[in english below]

A casa da Literatura situa-se na área do Vieux-Québec, uma zona histórica classificada Património Mundial da UNESCO. Neste contexto urbano particularmente exigente, Chevalier Morales propõe um anexo contemporâneo de volumetria simples, depurado do templo Wesley, igreja património neogótico. Desde a sua abertura, a Casa da Literatura tornou-se rapidamente uma montra incontornável da Literatura do Quebeque e paragem apreciada do percurso turístico da velha cidade. Com origem num concurso, o projeto ganhador de Chevalier Morales propunha uma solução completamente inédita, que ultrapassava as espectativas da encomenda inicial. Na conceção, os arquitetos escolheram prolongar uma parte do programa para o exterior do templo Wesley, construindo um novo anexo, para uma entrada mais transparente e universal. esta estratégia permitiu também libertar o templo de um programa complexo e devolver-lhe toda a amplitude do seu espaço de origem, de outro modo comprometida. Além dos espaços da biblioteca, o programa único e inovador da casa da Literatura comporta uma sala de espetáculos, um bar, um espaço de exposições temporárias, uma exposição permanente, um apartamento residência de escritores, estúdios de criatividade, salas de projeção e de formação, bem como um estúdio de criação multimédia o templo Wesley, construído em 1848, passou a biblioteca pública em 1944 e incluía uma sala de espetáculos e outra de conferências, do Instituto Canadiano, tendo esta última fechado ao público em 1999. a nova casa da Literatura permitiu ao instituto retomar a sua missão de divulgação da literatura do Quebeque, mantendo-se uma das mais antigas bibliotecas públicas da província do Quebeque. Parte transparente, o novo anexo, de proporções estranhamente familiares, reinterpreta as formas do tecido urbano existente. Oferece uma nova “cara” aberta e contemporânea ao instituto, fazendo-se agora a entrada principal, de forma natural, pela subida da calçada Des Ecossais, no eixo da rua St. Stanislas. O revestimento exterior, em vidro, sobrepõe-se a uma série de painéis metálicos, que compõem um baixo relevo intrigante. O anexo, de linhas simples, reflete a envolvente imediata e integra-se, delicadamente e sem mimetismos, no contexto urbano histórico do bairro Vieux-Québec.
Na sua relação dialética com o templo original, este acrescento contemporâneo leva a instituição ao século XXi, à era dos e-books e dos poemas no Twiter. Nos pisos superiores, abriga os espaços dedicados à criatividade – oferecendo algum distanciamento e permitindo uma vista sobre o rio e a velha cidade. A totalidade dos serviços eletromecânicos, necessários ao bom funcionamento da instituição, localizam-se na cave. os vários acessos possíveis promovem um sentido de liberdade, sendo feitos pela porta original do templo e pelo estacionamento – que dá aceso ao anexo, pelas traseiras. Tal como o acesso principal, todos os outros convergem de modos diferentes para a grande abertura circular, na plataforma da biblioteca e diretamente sob o candelabro contemporâneo. Estes elementos constituem o centro do conjunto, ligando verticalmente a sala de espetáculos e o bar com o espaço principal das coleções. Na sua forma circular e múltiplos níveis, a nova sala de espetáculos do instituto fecha-se sobre si própria, pela interceção de painéis acústicos, concêntricos deslizantes, integrados no teto. acima, a biblioteca usufrui de uma grande luminosidade, acentuada pela frescura do espaço. Acessível por uma escada escultural em caracol, encontra a espacialidade generosa da igreja de origem. Aí, vários detalhes foram mantidos, nomeadamente as janelas em ogiva e os baixos relevo do teto, que se harmonizam com o mobiliário contemporâneo e as prateleiras. é através destes numerosos compostos programáticos que se desenha o percurso da exposição permanente, sobre o tema da liberdade na literatura do Quebeque. Os arquitetos conceberam e integraram cuidadosamente a cenografia museológica nos três pisos da Casa da Literatura, na passagem do anexo ao templo. a abordagem de inserção, preconizada pelo novo anexo, era de valorizar, de complementar e de preservar o valor patrimonial do edifício existente, tanto no interior, como no exterior. O anexo revela-se um forte sinal disso mesmo e evita alterações da composição arquitetónica existente. O projeto propunha igualmente um importante trabalho de restauro das persianas e das madeiras das janelas do edifício, de inspiração gótica inglesa. o anexo de vidro, pela qualidade dos seus materiais, pela transparência e pela simplicidade nos detalhes, estabelece um diálogo material e formal com o edifício existente, em pedra. Simples e bem controlado, o revestimento do anexo não rivaliza com a riqueza e grande qualidade dos detalhes e composições da estrutura histórica existente. A Casa da Literatura revela um diálogo entre o passado e o presente do bairro histórico do Vieux-Québec. a casa da Literatura foi laureada nomeadamente com o Grande Prémio de Excelência e o Prémio de Excelência, na categoria Edifício cultural, pela ordem dos arquitetos do Quebeque, bem como recebeu a Medalha do Governador Geral, pelo Real Instituto de Arquitetura do Canadá e pelo Conselho das Artes do Canadá.

 

Maison de la Littérature (House of Literature) is located in the historic neighbourhood of Old Québec, a site part of UNESCO’s World Heritage List. In this particularly dense urban setting, Chevalier Morales designed a contemporary annex, a simple and refined volume, to the Wesley Temple, a neo-Gothic heritage church. Since its opening, the Maison de la Littérature has rapidly become a vibrant home to Québec literature and a popular touristic destination in Old Québec. Coming from an architecture competition, the winning project by Chevalier Morales proposed an unforeseen solution, a response exceeding the initial commission’s expectations. The architects chose to move part of the program into a new annex outside the church space to provide a more transparent and universal entrance. This strategy also helped declutter Wesley Temple, allowing the architects to preserve and restore the original spatiality of the overall structure. Along with the library spaces, the Maison de la Littérature’ s unique and innovative program also includes a concert/lecture hall, a café, a temporary exhibition space, a permanent exhibition, a resident writer’s apartment, creation studios, a projection room, a classroom as well as a multimedia studio. The partly transparent and strangely familiar shape of this new annex gives an open, contemporary feel to the Institut Canadien de Québec, the main entrance of which is now accessed naturally from the bottom of the sloping Chaussée des Écossais where it intersects with Rue St-Stanislas. The outer shell of the façade, in glass, overlaps a series of metallic panels with an underlayer of perforated brass sheets, which compose an intriguing low relief. The annex, with simple lines, reflects the immediate surroundings and integrates, delicately and without mimicry, in the historical urban context of the Vieux-Québec neighbourhood. In its dialectic relationship with the original temple, this contemporary extension brings the institution to the 21st century, the era of e-books and poems in the Twiter.
Houses in the upper levels the creative spaces - offering some distance and allowing impressive views over the river and the old city. All the electromechanical services necessary for the proper functioning of the institution are located in the basement. The possible accesses promote a sense of freedom and can be done by the original temple door and by the parking lot - which gives access to the annex at the rear. Like the main access, all accesses converge differently to the large circular opening, on the library platform and directly under the contemporary chandelier. These elements form the heart of the building, connecting vertically the café, two exhibition areas and the library collections. With its circular shape and multiple levels, the new concert and lecture hall can be isolated through concentric and sliding acoustic panels integrated to the ceiling. Above, the library enjoys a great luminosity, accentuated by the freshness of the space. Accessible through a sculptural white spiral staircase, it embraces the generous spatiality of the original church, including carefully restored elements from previous transformations that highlight the place’s rich social and spatial history. Accessible by a snail-shaped staircase, it finds the generous spatiality of the original. Here, original features like the ogive windows and the ceiling’s mouldings blend harmoniously with the contemporary furniture. It is through these numerous programmatic compounds that the course of the permanent exhibition, on the subject of freedom in the literature of Quebec, is drawn. The architects carefully designed and integrated the museological stage on the three floors of the House of Literature, in the passage from the annex to the temple. The insertion approach used for the new annex is aimed primarily at showcasing, complementing and preserving the heritage value of the existing building. The extension emerges as a strong symbol of the redeveloped heritage space and avoids altering the architectural composition of the existing structure. The project also included a significant restoration component for the building’s masonry and English gothic church windows. The glass annex with its high-quality materials, its transparency, and its detail simplicity, establishes a material and formal dialogue with the existing stone building. Simple and well-controlled, the annex skin does not rival with the richness and great quality of the details and compositions of existing historical structure and masonry assembly. The Maison de la Litérature creates a dialogue between the past and present of the historic neighbourhood of Old Quebec City. The House of Literature was awarded namely with the Grand Prix of Excellence and the Prize of Excellence in Cultural Building category by the Quebec Architects Association, as well as the Medal of the General Governor, the Canadian Institute of Architecture and Council of the Arts of Canada.

Set 2019