arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

Edições

por: Victor Neves |victneves@sapo.pt

Edição 134

(arq) Feminae

 Índice

Arq) feminae

(Arch) feminae

Homenagem da arqa às mulheres. As diferenças de oportunidades entre homens e mulheres nas artes e particularmente na arquitetura são um tema atual que tem sido abordado desde vários ângulos, mas está muito conotado com o tema da desigualdade entre géneros. Os estereótipos de género encontram-se presentes em muitas profissões e refletem modos diversos de posicionamento social e cultural. A arquitetura não é exceção. O objetivo deste número 134 da arqa é, não só mostrar obras de arquitetas e reconhecer a real qualidade do seu trabalho, mas também procurar respostas para as incógnitas que rodeiam este tema.

A pertinência do tema está ainda hoje longe de ser consensual. Entre as mulheres há um desconforto visível em ser tratado como “tema”. No entanto, ele existe. O difícil percurso da emancipação da mulher e da sua afirmação profissional e intelectual é uma realidade em quase todas as áreas, nas Artes, no design e até mais declaradamente na arquitetura, disciplina que historicamente tem sido dominada pelos homens, que ainda hoje detêm maioritariamente a direção dos ateliers em Portugal.

Tribute of arqa magazine to women. Differences in opportunities between men and women in arts and design and most particularly in architecture, is a current theme that has been approached from many angles, but is very much connoted with the theme of gender inequality. Gender stereotypes are present in many professions and reflect diverse modes of social and cultural positioning. Architecture is no exception. The purpose of this number 134 of arqa is not only to reveal works of female architects, and to recognize the real quality of their work, but also to look for answers to the questions that surround this theme.

The pertinence of the theme is still far from consensual. Among women there is a visible discomfort in being treated as a “theme”. However, it does exist. The difficult course of women’s emancipation and their professional and intellectual affirmation is a reality in almost all areas, in Arts, in Design and even more clearly in Architecture, a discipline that has historically been dominated by men, which still hold the majority of the directors of the ateliers in portugal, who still hold the management of the majority of Portuguese ateliers.

 

 

 (…)

Jun 2019

Outros artigos em Edições

Imagem - Edição 136

Edição 136

Indice João Álvaro Rocha 1959-2014 A arqa dedica este seu número à obra de João Álvaro Rocha, arquiteto do Porto, que desapareceu prematuramente em 2014, com apenas 55 anos de… 

Dez 2019

Imagem - Edição 135

Edição 135

Atualmente, a cultura aparece ligada a programas funcionais da arquitetura contemporânea, que antes pouco ou nada tinham a ver com cultura. As adegas com roteiro cultural, os hotéis com espaços culturais, os mercados com espaços de cultura, de arqueologia, os cafés que passaram cafés/livraria são disso exemplo. mas, não só. Hoje em dia uma escola, um centro de convecções ou uma igreja podem também alojar atividades culturais. A arquitetura passou a adotar programas que vão ALÉm De, PArA ALÉm De, no que respeita às suas funções mais imediatas. são programas que ultrapassam os modelos habituais, prevalecentes dos equipamentos públicos típicos e que reivindicam um papel cultural. são programas trANs que podem ser também iNtrA que, em alguns casos, coincidem com uma certa renovação de linguagens e de gerações de arquitetos. e das cidades. O desenvolvimento e aumento dos espaços urbanos pressupõe o surgimento de novas instituições e, consequentemente, de novos atores, os quais contribuem de forma redundante para a diversidade de experiências que os espaços urbanos concentram. A promoção urbana cria novas imagens culturais, para serem vendidas num mercado cada vez mais global, ao mesmo tempo que promove rearranjos espaciais para readequá-las às novas necessidades locais. A utilização da cultura como ferramenta do planeamento estratégico e do marketing urbano recorre a edifícios culturais ícones para iniciar processos de promoção e renovação. A arquitetura com valências culturais, pela forma como ocupa e utiliza o espaço, é um agente transformador da cidade. Nowadays, culture appears attached to functional programs of contemporary architecture, which previously had little or nothing to do with culture. Wine cellars with cultural itinerary, hotels with cultural spaces, markets with cultural or archeology spaces, cafes that have passed cafes / bookstore are all examples. But not only: today a school, a convention center or a church can also host cultural activities. Architecture has adopted programs that go BEYOND, in terms of its most immediate functions. These are programs that go beyond the usual models, prevalent in typical public facilities claim a cultural role. These are TRANS programs that may also be INTRA, which in some cases coincide with a certain renewal of languages and generations of architects. And with the renewal of the cities, as well. The development and increase of urban spaces presupposes the emergence of new institutions and consequently new actors, which contribute in a redundant way to the diversity of experiences that urban spaces concentrate. Urban promotion creates new cultural images to be sold in an increasingly global marketplace, while promoting spatial rearrangements to readjust them to new local needs. Using culture as a tool for strategic planning and urban marketing uses iconic cultural buildings to initiate promotion and renovation processes. The architecture with cultural valences, is a transforming agent of the city through the way it occupies and uses the space.

Set 2019

Arquivo de Edições