arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

Opinião

por: FÁTIMA FARIA ROQUE (Técnica Superior – Assessora da Direção, na Direção-Geral do Património Cultural)

CONFERÊNCIA “PATRIMÓNIO CULTURAL – DESAFIOS XXI” MEMÓRIA E MODERNIDADE – LEGADO E RESPONSABILIDADE

Ponto alto das atividades promovidas pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural (AEPC), a Conferência “Património Cultural Desafios XXI” reuniu, nos dias 25 e 26 de outubro último, na Fundação Calouste Gulbenkian, um significativo número de especialistas nacionais e internacionais, cujos contributos em muito vieram enriquecer uma preocupação transversal a vários domínios da sociedade contemporânea: que desafios coloca hoje o Património Cultural, sobretudo equacionado sob os novos paradigmas da sustentabilidade e do desenvolvimento económico, mas aos quais não poderão ser alheios temas como a inclusão, a globalização, os novos públicos (sejam eles turistas ou refugiados), a inovação tecnológica e, até mesmo, o ambiente e território?

(…) E porque de questionamento falamos quando falamos de cultura, salientem-se ainda os desafios deixados por Paulo Pereira, Professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, que lançou à reflexão temas tão urgentes como o de uma certa “distopia” que carateriza a sociedade atual e que pode ter reflexos ao nível do “refundar a arte da memória”. Para Paulo Pereira, falar de Património e dos seus desafios é também falar de atitude cívica e, nessa medida, interroga-se: “de que modo poderá o Património ajudar os milhares de refugiados, ou as atrocidades com que os noticiários nos confrontam no dia-a-dia?”

Responsabilidade. Cuidado. Demora. Exigência.

Palavras que criaram, certamente, o Património comum a esta Conferência. Os desafios foram equacionados, analisados e debatidos. Os projetos foram apresentados. As ideias, avaliadas. O Ano Europeu do Património Cultural assinalado quando se aproxima o seu final. Mas não o seu encerramento. É, pelo menos, essa a “deixa” que marca a organização de um evento como este.

 

 (…)

Dez 2018

Outros artigos em Opinião

Imagem - PAISAGEM E ARQUITETURA

PAISAGEM E ARQUITETURA

O propósito de explorar a relação entre a arquitetura paisagista e a arquitetura parte das leituras dos textos dos anos de 1940 e 1950 do arquiteto paisagista Francisco Caldeira Cabral… 

Mar 2019

Imagem - PAISAGEM: REFERÊNCIA PARA CONSTRUÇÃO DO LUGAR LANDSCAPE: REFERENCE FOR CONSTRUCTION OF PLACE

PAISAGEM: REFERÊNCIA PARA CONSTRUÇÃO DO LUGAR LANDSCAPE: REFERENCE FOR CONSTRUCTION OF PLACE

PAISAGEM: REFERÊNCIA PARA CONSTRUÇÃO DO LUGAR LANDSCAPE: REFERENCE FOR CONSTRUCTION OF PLACEA leitura da paisagem, seja ela rural ou urbana, sugere uma interpretação com duas vertentes, uma, determinada pelo sistema… 

Mar 2019

Arquivo de Opinião