arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

Entrevista

por: Arq|a

ENTREVISTA com Ethel Baraona Poh

"Creio que há muita investigação atualmente, por exemplo, no campo dos materiais, o que tornou a arquitetura uma disciplina mais científica, como a engenharia. Acho que esta comunicação está muito presente e se autoalimenta. Há muita gente a investigar por exemplo como utilizar os têxteis para construir e outro tipo de materiais, como o carbono, para conseguir estruturas mais ligeiras. Eu creio que a arquitetura, para além da sua ligação e contaminação tradicional com as artes, também agora se contamina com outras práticas mais científicas como a robótica, por exemplo."



A crítica e curadora catalã esteve em Lisboa no passado dia 25 de Outubro de 2017, a convite da TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA, para mediar uma conversa do ciclo Distância Crítica (2017-2019). O título do ciclo era Future Architecture Platform e neste contexto entrevistámos Ethel Baraona, tentando descortinar a sua aproximação a novas plataformas de crítica e de práticas na arquitetura atual e o papel que podem ter novos agentes criadores - arquitetos ou não - num futuro próximo.

Ethel Baraona Pohl 

Curadora, ensaísta, crítica e editora. Cofundadora do atelier de investigação independente, dpr-barcelona, que trabalha nas áreas da arquitetura, teoria política e meio social. Desde 2016 o dpr-barcelona é membro da Future Architecture, a primeira plataforma pan-europeia de museus, festivais e produtores de arquitetura.

Editora dos Quaderns d’arquitetura i urbanisme, entre 2011 e 2016, Ethel tem vindo a colaborar, ao longo dos anos, com diversas publicações e livros. Os seus ensaios podem ser lidos em publicações como Open Source Architecture (Thames and Hudson, 2015), Together! The New Architecture of the Collective (Ruby Press, 2017) e Volume, entre outras.

Foi curadora associada da exposição Adhocracy, inicialmente uma encomenda da Bienal de Design de Istambul de 2012, que depois foi exposta no New Museum, em Nova Iorque (Maio de 2013) e no Lime Wharf, em Londres (Verão, 2013). Foi ainda curadora do terceiro programa Think Space, com o tema Money e co-curadora (juntamente com César Reyes e Pelin Tan) da exposição Adhocracy ATHENS no Centro Cultural Onassis (2015).

Diretora da Foros 2017, série de conferências de arquitetura, da School of Architecture da UIC, Barcelona. (…)



 (…)

Jul 2018

Outros artigos em Entrevista

Imagem - ENTREVISTA João Luís Carrilho da Graça

ENTREVISTA João Luís Carrilho da Graça

No caso do campo das cebolas, lembro-me de pensar muito numa questão que é a solidez. os espaços públicos têm de ser sólidos porque a cidade é muito cruel – cruel na utilização que faz dos espaços – e, portanto, tudo aquilo tem de ser muito resistente. temos que imaginar que, espaços onde só deveriam estar pessoas, de repente podem ser invadidos por camiões tir, porque estão a montar um espetáculo ou algo do género. têm que ter uma grande resistência e também um sentido de abertura.

Set 2018

Imagem - ENTREVISTA a Nuno Mateus

ENTREVISTA a Nuno Mateus

"O LUGAR É SEMPRE UM CONTEXTO COMPLEXO DE CAMADAS SOBREPOSTAS QUE TEM QUE SER DESDOBRADO E ANALISADO NAS SUAS MÚLTIPLAS DIMENSÕES." arqa A arquitetura dá forma aos lugares. Configura os… 

Dez 2017

Arquivo de Entrevista