arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

News Actualidades | Internacional | Agenda | Imobiliário

ECONOMIA DE MEIOS ― TRIENAL DE ARQUITETURA DE LISBOA ― CURADORIA: ÉRIC LAPIERRE

Economia de Meios sugere o desafio de usar apenas um meio para múltiplos fins, investigando o que faz desta abordagem uma marca e uma precondição para uma arquitetura racional. É uma verdade universalmente reconhecida, que todos os tipos de recursos devem ser usados com maior consciência e cuidado, situação que o século XXI tornou mais premente. Ao reduzir os meios – materiais, económicos e conceptuais – a que recorrem num projeto, os arquitetos exploram os limites e a definição da própria arquitetura. Na disciplina, isso pode significar um material, um espaço, uma forma ou um processo. A exposição propõe uma tipologia das formas, pelas quais a economia de meios se exerceu até agora, e questiona as diversas formas através das quais ela se poderia exercer hoje. Através de exemplos contemporâneos e históricos, esta exposição multissensorial explora as formas inovadoras que guiam os autores, rumo a soluções não só mais responsáveis, éticas e sustentáveis, como mais belas para os desafios locais e globais. Esta exposição integra a 5.ª edição da Trienal de Arquitetura de Lisboa, que tem por título “A Poética da Razão”. Concebida através de exemplos tanto contemporâneos como históricos, esta mostra multissensorial explora as formas inovadoras pelas quais os autores são guiados para soluções mais responsáveis, éticas, sustentáveis,
mas também mais belas, para desafios locais e globais, bem como para interseções entre arquitetura e outras artes visuais, música e gastronomia.

Dez 2019

GEOTÊXTEIS PARA EDIFICAÇÃO DA SOPREMA GEOTÊXTEIS DE POLIÉSTER - ROOFTEX V

Os geotêxteis não tecidos, de fibras controladas, 100% poliéster, da Soprema, são perfurados mecanicamente por meio de agulhas, com posterior tratamento térmico e de calandragem. Rooftex V é fabricado com uma seleção de fibras controladas de cor verde. Fabricados com fibras controladas 100% PET e calibradas de forma longitudinal e diametral e frisadas para facilitar o entrelaçado, com boa resistência ao punçoamento estático e dinâmico. Boa permeabilidade à água. Resistência biológica: não é afetado por bactérias nem fungos. Não contém nutrientes, pelo que não sofre ataques de roedores nem térmitas. Aplicável em coberturas transitáveis com proteção pesada; Coberturas não transitáveis; Coberturas estacionamento; Coberturas vegetais (ajardinadas); Coberturas invertidas e convencionais; Corredores técnicos. Aplicável em isolamento; Obra; Aço; Membrana betuminosa; Membranas de impermeabilização líquida; PVC-TPO Os geotêxteis de poliéster utilizam-se para cumprir as funções de: Reforço: fornece resistência ao punçoamento da membrana impermeabilizante; Filtragem e drenagem: boa permeabilidade à água, per
mitindo a passagem da água para a sua condução, retendo as partículas finas do solo; Separação: evita a mistura de partículas de diferentes solos. Impede o contacto entre materiais não compatíveis. Atua como barreira permeável entre materiais com estruturas diferentes. Certificações e regulamentação: Fabricado em conformidade com Sistema de Qualidade segundo ISO:9001; EN 13249; 3250; 13251; 13252; 13253; 13254; 13255; 13256; 13265

www. soprema.pt

Set 2019