arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

News Actualidades | Internacional | Agenda | Imobiliário

GEOTÊXTEIS PARA EDIFICAÇÃO DA SOPREMA GEOTÊXTEIS DE POLIÉSTER - ROOFTEX V

Os geotêxteis não tecidos, de fibras controladas, 100% poliéster, da Soprema, são perfurados mecanicamente por meio de agulhas, com posterior tratamento térmico e de calandragem. Rooftex V é fabricado com uma seleção de fibras controladas de cor verde. Fabricados com fibras controladas 100% PET e calibradas de forma longitudinal e diametral e frisadas para facilitar o entrelaçado, com boa resistência ao punçoamento estático e dinâmico. Boa permeabilidade à água. Resistência biológica: não é afetado por bactérias nem fungos. Não contém nutrientes, pelo que não sofre ataques de roedores nem térmitas. Aplicável em coberturas transitáveis com proteção pesada; Coberturas não transitáveis; Coberturas estacionamento; Coberturas vegetais (ajardinadas); Coberturas invertidas e convencionais; Corredores técnicos. Aplicável em isolamento; Obra; Aço; Membrana betuminosa; Membranas de impermeabilização líquida; PVC-TPO Os geotêxteis de poliéster utilizam-se para cumprir as funções de: Reforço: fornece resistência ao punçoamento da membrana impermeabilizante; Filtragem e drenagem: boa permeabilidade à água, per
mitindo a passagem da água para a sua condução, retendo as partículas finas do solo; Separação: evita a mistura de partículas de diferentes solos. Impede o contacto entre materiais não compatíveis. Atua como barreira permeável entre materiais com estruturas diferentes. Certificações e regulamentação: Fabricado em conformidade com Sistema de Qualidade segundo ISO:9001; EN 13249; 3250; 13251; 13252; 13253; 13254; 13255; 13256; 13265

www. soprema.pt

Set 2019

FRANCISCO E MANUEL AIRES MATEUS REQUALIFICAM O MUSEU DE BELAS ARTES DE REIMS

O escritório Aires Mateus, liderado pelos irmãos Francisco e Manuel Aires Mateus, acaba de vencer o concurso internacional para projetar a requalificação do Museu de Belas-Artes de Reims, em França. O concurso exigiu a requalificação total do edifício, com cerca de dez mil metros quadrados, e inclui a reformulação do projeto museográfico, a criação de novos acessos, reservados às áreas de documentação e ateliers, e a construção de áreas de acesso público, como auditório, restaurante, galeria de exposições temporárias, biblioteca e serviços pedagógicos. A intervenção é feita num edifício medieval que pertenceu à antiga abadia de Saint-Denis. O museu conta com um acervo que regista a evolução da arte europeia nos últimos 500 anos, em especial a francesa. Entre as obras de maior valor estão pinturas e esculturas de Millet, Rodin, Renoir, Monet, Corot e Boisecq.

Set 2019