arqa—Arquitectura e Arte Contemporâneas — Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine

Opinião

Arquitectura brasileira e modernidade

por: Baptista Bastos

Há uns anos, alguém defendeu a tese absurda e abstrusa de que as favelas abriam um capítulo importante na história da arquitectura. A polémica surgiu. Vozes levantaram-se apoiando o argumento, e outras reduziram-no a uma infantilidade. Até o velho Niemeyer… (+)

Jul 2011

Reabilitar, talvez, os sonhos

por: Baptista Bastos

Reabilitar, quê? A memória das coisas? É praticamente impossível. Quando os velhos centros históricos citadinos se deterioram e arruínam, a sua recuperação arquitectónica não completa a história desses bairros. As pessoas… (+)

Mai 2011

A modernidade e a arte "popular"

por: Baptista Bastos

A expressão «popular» tem dado origem a muitos equívocos, ambiguidades e aproveitamentos. Em termos políticos, permite as ocultações mais tenebrosas. Quando aplicada à arte, ou às artes, ela é dicotómica. Mas é muito… (+)

Mar 2011

Da necessidade da cultura

por: Baptista Bastos

Há uns anos, durante uma entrevista à revista francesa «Le Point», Jean Nouvel sugeria que, durante um ano, nas escolas secundárias, fosse ministrado o ensino de História da Arquitectura. O grande arquitecto, sempre polémico e provocador, desenvolvia… (+)

Jan 2011

Os conceitos de casa e de espaço público

por: Baptista Bastos

Os gregos ensinaram que nenhuma casa é um invólucro, porque todas as casas, modestas ou ostentosas, conservam em si o espírito de quem as construiu e a alma de quem as habita. Esta relação, aparentemente excessiva, contém, em si mesma, uma ideia de… (+)

Nov 2010

O diálogo interrompido

por: Baptista Bastos

O tempo, hoje, não corre mais depressa, como costuma dizer-se. O paradigma social, político e económico é que mudou. As exigências do «mercado» permitiram uma alteração substancial nas estruturas das sociedades, criando uma tensão… (+)

Set 2010

O património é um afecto

por: Baptista Bastos

«Fome de eternidade têm os homens», escreveu o grande poeta mexicano Octavio Paz, notoriamente inspirado nas parábolas bíblicas. E a Bíblia, não o esqueçamos, foi escrita por homens. Aliás, os homens, acaso por medo e por se protegerem… (+)

Jul 2010

Dez anos uns com os outros

por: Baptista Bastos

Editar em Portugal uma publicação (qualquer que ela seja, destine-se a quem se destinar) é, quase, um supremo acto de heroísmo. Sei do que falo. Assisti ao nascimento de muitos sonhos e à queda da maioria deles. Dizer aos outros o que sentimos urgência em… (+)

Mai 2010

Práticas sustentáveis: grandezas e misérias

por: Baptista-Bastos

A aprendizagem faz-se através do erro. E, também, através da comparação com outras realizações do espírito humano. Sem perder de vista que toda a arte, toda a criação do homem, é um diálogo que se pede emprestado.… (+)

Mar 2010

A eternidade do efémero

por: Baptista-Bastos

O nomadismo terminou há doze mil anos. Uma tribo descobriu, inesperadamente, numa ampla clareira, uma espécie de redutos, construídos em torno de árvores. Com espanto, curiosidade e cautela aproximaram-se, entraram nas casas, e verificaram não só o… (+)

Jan 2010